Noticias em destaque

COMUNICADO À POPULAÇÃO – Acção de sensibilização.

A Junta de Freguesia de Mafra em colaboração com o Núcleo de Proteção Ambiental do Destacamento Territorial da GNR de Mafra vai proceder a uma ação de sensibilização, junto dos moradores desta freguesia, com os seguintes temas:

  • Incêndios Florestais
  • Limpezas de Terrenos
  • Queimas
  • Queimadas

A ação será realizada no próximo dia 7 de março, pelas 20h00, no Auditório da Casa da Música de Mafra.

 

 

 

Anexos

AVISO À POPULAÇÃO PRECIPITAÇÃO, QUEDA DE NEVE, VENTO e AGITAÇÃO MARÍTIMA

AVISO À POPULAÇÃO PRECIPITAÇÃO, QUEDA DE NEVE, VENTO e AGITAÇÃO MARÍTIMA

AUTORIDADE NACIONAL DE PROTEÇÃO CIVIL

1. SITUAÇÃO
No seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) realizado
pelo Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção
Civil (ANPC), e de acordo com a informação meteorológica disponibilizada, salienta-se, para os
próximos dias, um quadro meteorológico persistente marcado por forte instabilidade
atmosférica, o qual irá afetar todo o território continental:
 A PRECIPITAÇÃO, pontualmente forte e localizada (>10 mm/h), será persistente ao longo
dos próximos dias, intensificando-se a partir do final do dia de hoje em todo o território,
embora de forma mais expressiva nas regiões do litoral Norte e Centro, podendo ocorrer
associada a trovoada e queda de granizo;
 A QUEDA DE NEVE, acima dos 400/600 m, será mais significativa durante a próxima
madrugada nas regiões do interior Norte e Centro, com a cota a subir gradualmente no
dia de amanhã (28FEV) para os 1000/1200 m;
 O VENTO, mais intenso a partir da tarde de hoje (27FEV) do quadrante Sul, será
moderado a forte no litoral e nas terras altas com rajadas que podem atingir os 90 Km/h.
Entre 28FEV e 02MAR (4ª a 6 feira) prevê-se o agravamento com as rajadas a poderem
atingir os 100 Km/h nas terras altas e 80 Km/h no restante território. Não se de exclui a
possibilidade de ocorrerem fenómenos localizados extremos de vento;
 A AGITAÇÃO MARÍTIMA espera-se de sudoeste até 5-7 m, com picos máximos da ordem
dos 10/12 m (com forte rebentação na costa) essencialmente a Sul do cabo Raso, a partir
de 4.ª feira (28FEV).
Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt
2. EFEITOS EXPECTÁVEIS
Face à situação acima descrita, podem ocorrer os seguintes efeitos:
 Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo;
 Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano devido a acumulação de águas pluviais ou
insuficiência dos sistemas de drenagem;
 Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas mais vulneráveis;
 Inundações de estruturas urbanas subterrâneas devido a condições de drenagem
deficientes;
 Danos em estruturas montadas ou suspensas;
 Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente durante períodos de
preia-mar, podendo causar inundações nos locais mais vulneráveis;
 Queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
 Acidentes na orla costeira;
 Fenómenos geomorfológicos de instabilidade de vertentes devido à saturação dos solos
e perda de consistência dos terrenos.
3. MEDIDAS PREVENTIVAS
A ANPC recorda que o impacto destes efeitos pode ser minimizado através da adoção de
comportamentos adequados, pelo que recomenda a observação e ampla divulgação das principais
medidas de autoproteção para fazer face a estas situações, nomeadamente:
 Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e não retirar
inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre
escoamento das águas;
 Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a
possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
 Evitar atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou
viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
 Proceder à colocação das correntes de neve nas viaturas, sempre que se circular nas áreas
atingidas pela queda de neve;
 Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente andaimes, placards e
outras estruturas suspensas;
 Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando
atento à queda de ramos e árvores em virtude de vento mais forte;
 Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas mais
vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando, se possível, a circulação e permanência
nestes locais;
Evitar praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva,
desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando o estacionamento de veículos muito
próximos da orla marítima;

MANTENHA-SE atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e das
Forças de Segurança.
Divisão de Comunicação e Sensibilização
Jorge Dias | 965 160 096
Alcina Coutinho | 919 201 307

Ver documento

Declaração Obrigatória – Galinhas Poedeiras

Para mais informações ver o ficheiro em anexo.

Anexos

Entrega gratuita de resíduos – Ecocentros Abrunheira/Ericeira

Entregue, gratuitamente, os seus resíduos de grandes dimensões nos Ecocentros da Abrunheira e da Ericeira… e contribua para que as ruas da sua zona se mantenham sempre limpas! A Câmara Municipal recomenda a utilização destes centros de receção, dotados de equipamentos de grande capacidade para deposição seletiva de materiais passíveis de valorização, que funcionam de segunda-feira a sábado, das 08h00 às 12h00 e das 13h00 às 17h00.

 

Resíduos para entrega nos Ecocentros:

Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE)

Pilhas e Acumuladores (P&A)

Embalagens e materiais contaminados

Têxteis | Óleos alimentares e minerais

Papel/ cartão | Embalagens de plástico e metal

Plásticos rígidos (estores/ tubos e para-choques)

Vidro de embalagem e não-embalagem | Pneus usados

 

Monstros (colchões e sofás) | Madeiras

Metais/ sucatas | Resíduos de jardins e parques

Resíduos de Construção e Demolição (RCD) | Esferovite (EPS)

Resíduos Urbanos Biodegradáveis (RUB) – só no ecocentro da Ericeira

 

Ecocentro da Ericeira

Estrada do Rego, n.º 15

Ericeira

 

Ecocentro da Abrunheira

Estrada Municipal da Abrunheira, n.º 1, lugar das F

ontainhas

São Miguel de Alcainça

Mais informações aqui

Formação obrigatória – Detentores de cão perigoso ou potencialmente perigoso.

A DGAV – Direção Geral de Alimentação e Veterinária da Região de Lisboa e Vale do Tejo faz saber:

A Lei nº 46/2013, de 4 de julho, que alterou o DL nº 315/2009, de 29 de outubro, veio introduzir a obrigatoriedade de formação para detentor de cão perigoso ou potencialmente perigoso.

Embora esteja prevista na lei a apresentação do comprovativo da citada formação, para obtenção da licença de detenção de cães perigosos e potencialmente perigosos, esse comprovativo não podia, até há pouco tempo, ser solicitado aos requerentes, uma vez que as ações de formação ainda não estavam à disposição dos cidadãos.

Considerando que estão abertas as inscrições para as ações de formação referidas, conforme notícia disponível nos portais da DGAV, PSP e GNR, considera-se estarem reunidas as condições para, sempre que seja solicitada licença de detentor de cães perigosos ou potencialmente perigosos, a mesma só poder ser concedida se for apresentado o comprovativo de inscrição numa ação de formação, a realizar pela PSP ou pela GNR, ou pelas entidades formadoras que venham a ser certificadas para esse efeito.

Para o efeito, os interessados na referida formação devem consultar a «Instrução para Candidatos à Formação para Detentores de Câes Perigosos ou potencialmente perigosos , o Regulamento Específico Nº 15 e a Portaria nº28/2017 de 17 de janeiro, documentos que se encontram disponíveis no portal da DGAV (http://www.dgv.min-agricultura.pt/portal/page/portal/DGV/noticia?detalhe_noticia=23470799&cboui=23470799).

Os locais e datas onde decorrerão as formações serão publicitados nos portais eletrónicos da GNR (www.gnr.pt) e da PSP (www.psp.pt).”

Candidaturas ao Apoio Social

As candidaturas ao Apoio Social  devem ser feitas às terças-feiras entre as 14:00 e as 16:00 na secretaria da Junta de Freguesia.

O primeiro atendimento será a 6 de fevereiro.

 

Registo e Licenciamento de Canídeos e Felídeos 2018

Os detentores de cães devem renovar a licença todos os anos, sob pena de caducidade da licença. (cfr. art.º 4.º, n.º 2, do Regulamento de Registo, Classificação e Licenciamento de Cães e Gatos, anexo à Portaria n.º 421/2004, de 24 de Abril).

Para mais informações clique aqui

Convocatória para o Dia da Defesa Nacional 2018

Serão convocados a cumprir o Dia da Defesa Nacional, todos os jovens nascidos durante o ano de 1999.

Para o dia de comparência ao DDN, será fornecida a alimentação e transporte (em território nacional).
Aquando da sua comparência ao DDN, o cidadão deve trazer consigo o seu Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade e calçado adequado (ténis ou botas).
http://bud.defesa.pt/ddn/convocacao.html
Para mais informações ver anexos.

 

Anexos

Nível Alerta 2 – Amarelo – Plano Contingência Temperaturas Extremas Adversas – Inverno e Saúde

Vimos por este meio informar que foi emitido o Alerta Amarelo, correspondente ao nível de alerta 2 previsto no nosso Plano de Contingência Temperaturas Extremas Adversas – Inverno e Saúde.

 

São previsíveis efeitos sobre a saúde – nomeadamente efeito provável sobre a mortalidade por doenças do aparelho circulatório e respiratório no Distrito de Lisboa para os grupos etários superiores a 65 anos nos próximos 9 dias, com máximo esperado para o dia 25 de Dezembro.

 

Estamos perante um sinal de alerta para o distrito de Lisboa, dado que o seu índice FRIESA previsto ultrapassa o nível 1. O Índice FRIESA é  um indicador do impacto das temperaturas observadas e previstas para os próximos dias na mortalidade elaborado pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge.

 

Os principais problemas de saúde associados ao frio são o enregelamento e a hipotermia. No entanto, este é também responsável pelo agravamento de doenças, sobretudo respiratórias e cardíacas.

 

Durante um período de frio recomenda-se:

 

No domicílio

 

  • Mantenha a temperatura da sua casa entre os 18ºC e os 21ºC;
  • Se não conseguir aquecer todas as divisões da casa, tente manter a sala de estar quente durante o dia e aqueça o quarto antes de se ir deitar;
  • Se utilizar lareiras, braseiras, salamandras ou equipamentos de aquecimento a gás mantenha a correta ventilação das divisões de forma a evitar a acumulação de gases nocivos à saúde, evitando os acidentes por monóxido de carbono que podem causar intoxicação ou morte;
  • Não utilize fogão a gás, forno ou fogareiro a carvão para aquecer a casa. Também não deve utilizar equipamentos de aquecimento de exterior em espaços interiores;
  • Evite dormir/descansar muito perto da fonte de calor;
  • Apague ou desligue os sistemas de aquecimento antes de se deitar ou sair de casa, de forma a evitar fogos ou intoxicações;
  • Promova uma boa circulação de ar, não fechando completamente as divisões da casa, mas evite as correntes de ar frio;
  • Mantenha sob vigilância a utilização de botijas de água quente, para evitar o risco de queimadura.


Cuidados pessoais e vestuário

 

  • Mantenha a pele hidratada, principalmente mãos, pés, cara e lábios;
  • Use várias camadas de roupa, em vez de uma única muito grossa, e não use roupas demasiado justas que dificultem a circulação sanguínea;
  • Proteja as extremidades do corpo (com luvas, gorro, meias quentes e cachecol) e use calçado adequado às condições meteorológicas;
  • Evite andar descalço no chão frio ou molhado.

Alimentação

 

  • Faça refeições mais frequentes encurtando as horas entre elas;
  • Dê preferência a sopas e a bebidas quentes, como leite ou chá;
  • Aumente o consumo de alimentos ricos em vitaminas, sais minerais e antioxidantes (por exemplo, frutos e hortícolas), pois contribuem para minimizar o aparecimento de infeções;
  • Faça uma alimentação variada e saudável, evitando alimentos fritos, com muita gordura ou açucarados;
  • Evite bebidas alcoólicas que provocam vasodilatação com perda de calor e arrefecimento do corpo.

Atividades e exercício físico no exterior

 

  • Mantenha a prática de exercício físico habitual, mas em situações de frio intenso evite fazer exercício físico de esforço ao ar livre;
  • Se tiver de realizar trabalho de intensidade física, proteja-se com roupa adequada e vá doseando o esforço;
  • Procure um local abrigado se a temperatura diminuir e houver muito vento;
  • Em caso de frio intenso faça pequenos movimentos com os dedos, os braços e as pernas evitando o arrefecimento do corpo;
  • Evite caminhar sobre o gelo devido ao risco de lesões por queda;
  • Procure manter-se seco e evite arrefecer com a roupa transpirada no corpo;
  • Beba água antes, durante e depois da atividade física para evitar a desidratação.

Se vai viajar de automóvel

 

  • Informe-se sobre a previsão meteorológica, sobre problemas de circulação automóvel e assegure-se de que dispõe de um mapa ou outro meio de localização;
  • Se a previsão meteorológica incluir a queda de neve leve roupas quentes e mantas bem como comida e bebidas quentes, tendo em conta que pode ficar bloqueado;Evite viajar sozinho ou em situações de reduzida visibilidade.